Carta a você

old letters, letters, handwritten
prazer
sou um caos em meio a ordem
mas a ordem é insana e minha mente acelerada
eu transbordo porque sinto
e o que sinto não dá pra conter
em nenhum lugar
tento ser sensata
tenho tentado
tento ser calmaria e acabo tempestuando qualquer lugar
quero dizer e não sei nem por onde começar 
e não encontro as palavras
mas elas estavam ali agora pouco
e minha mente já corre em assuntos mil
mas o coração está ali, batendo forte
desesperando
oscilando
e desesperando de novo.
 
entende o que quero dizer?
talvez não esteja tão claro
quanto estava antes de ser escrito
 
é que você me causa isso
saltos
saltos profundos em todas as direções 
saltos no coração, na alma, na barriga
saltos curvados do meu corpo no prazer que só você me dá 
na surpresa de sempre surpreender
no físico, na mente, naquilo que nem sei se tem nome
saltos no escuro da incerteza
saltos que nunca dei por ninguém 
saltos de uma mente que corre mais rápido que o próprio raciocínio 
me perco em mim mesma tentando entender como cheguei aqui
e a resposta é sempre você 
é você 
tem sido você por um tempo
mas como eu podia falar se me perco em palavras num simples olá?
 
você é a música que toca
incessantemente 
nos alto-falantes da minha alma
do meu coração 
bombeando esse som pelas minhas veias
inflando de amor
 
e eu esperei e esperei
esperei mais até 
e esperarei mais até após escrever essa carta
mas em algum momento percebi que o medo me impede
e não gosto de impedimentos
não sei me conter
eu já disse isso?
 
eu esperei para ver o amor florescer no jardim do seu olhar
tentei ver se havia sequer um brotinho de amor por lá
mas a mente eu ainda não aprendi a ler
e minha visão é turva para sentimentos
não sei ler intenções e entrelinhas
sou ingênua demais no amor
talvez porque nunca amei
ou talvez tenha amado mas nunca percebi o amor
nunca 
até você 
 
porque você me infla desse sentimento estranho
que é tão bom e gera tanto medo
e impulsiona o meu mundo naturalmente acelerado
e de novo 
me perco em palavras
não chego a lugar algum
perdão, não sei me conter
eu já disse isso?
 
 
o fato é que esperei
esperei e esperei mais um pouco
e um dia percebi que não precisava esperar 
o que eu sinto é tão natural quanto cair no sono
talvez por isso eu cai por você 
talvez por isso eu sinta que estou sonhando
 
não preciso de confirmações para amar
basta amar
 
não preciso de respostas para meu amor
amo sem contraprestações 
 
amo até doer
e como dói
e porque eu não ligo?
 
acho que não sei me conter
eu já disse isso?
 
é que amor verdadeiro
é abnegado
eu só quero amar
 
você entende o que quero dizer? 
talvez não esteja tão claro
quanto estava antes de ser escrito

– Caroline Pestana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *